terça-feira, 17 de agosto de 2010

É assim ôh.



Dizem que todas as vezes em que olhamos para o relógio e vemos que é uma hra que combina, como 18:18h, podemos fechar os olhos e fazer um pedido. Estrelas cadentes não aparecem, ou não olhamos pro céu na hora exata em que elas o riscam, com tanta frequência. Aniversários demoram doze meses para voltar. Assim, os supersticiosos julgaram por bem nos convencer de que temos mais vinte e quatro chances por dia de conseguir a realização daquilo que tanto ansiamos. E vooc sabe que, não acreditando em quase nada, acabo acreditando em praticamente tudo.
Seja porque só ouvi falar nesse bônus diário de bilhetes da sorte ou porque não paro muito pra ver que horas são (a não ser que eu tenha algum compromisso, é claro), nunca notei essas minhas chances extras de conseguir o que eu quero. Nunca pegava os ponteiros marcando a hora certa. Desde que você entrou na minha vida, entretanto, eles têm gostado de me mostrar as horas, mais de uma vez por dia, em pares que combinam – exatamente o que nós somos agora.
Por não acreditar em sorte, era de se esperar que eu nem ligasse para essa superstição toda. E eu não ligo. Mas não posso negar que a cada vez que encontro horas ”parelhadas” me lembro de vooc. e do pedido . Agora que vooc veio pra ficar, porém, não me sinto no direito de pedir mais nada para mim mesma – vooc já é tudo que eu sempre quis e muito mais do que eu jamais saberia pedir!
Assim, quando o relógio mostrou 18:18h ontem, fechei meus olhos e pedi mais uma vez. E na lista de coisas intermináveis,  foi só vooc o que consegui pedir naquele minutinho, esqueci de que não tenho mais o direito de pedir qualquer coisa que seja, e fui egoísta. Pedi vooc o tempo todo ao meu lado … pra que eu possa pelo menos começar a te fazer tão deslumbrantemente feliz como vooc me tem feito.