quinta-feira, 2 de setembro de 2010

 

- Ei, você ama?
- O que?

- Estou perguntando se você ama.

- Quem é você?

- Alguém que perdeu o amor.

- O que eu tenho a ver com isso?

- Quero saber se você ainda tem amor.

- Amor? Eu tenho amor, claro que tenho.

- E como você sabe?

- E como você sabe que não tem amor?

- Do mesmo modo como você sabe que tem. 

Me olhou com um olhar confuso e virou-se em silêncio.

- Perdeu o amor?

- Perdi.

- Com desistência?

- Não, fui deixando pelas ruas.

- E porque?

- Porque não valia a pena.

- Ah, entendi.. Não era recíproco né? 

- Era desequilibrado.

- É fácil equilibrar.

- Quando os dois se querem.

- E quando não se quer?

- Aí a gente larga pelas ruas, muita gente precisa sabia?

- Não acho que deva fazer isso.

- Porque?

- É essencial ter algo que preencha o coração, mesmo que doa. Melhor do que esse vazio.

- Eu não tenho um vazio.

- Tem sim.

- E se eu não tiver?

- Então não era amor de verdade.

- Porque não?

- Porque amor quando se vai, arranca tudo. 

- Tudo?

- Tudo.... Foi o que aconteceu contigo?

- Foi o que aconteceu comigo.