quinta-feira, 2 de dezembro de 2010


"Olhar preso no meu, perdidamente.
Não exijas mais nada.Não desejo também mais nada, só te olhar, enquanto a realidade é simples, e isto apenas".

Mario de Andrade