segunda-feira, 9 de maio de 2011

 
Vem me ensinar a falar, vem me ensinar ter você.
Na minha boca agora mora o teu nome, é a vista que os meus olhos querem ter sem precisar procurar, nem descansar e adormecer.
Não quero acreditar que vou gastar desse modo a vida, olhar pro Sol só ver janela e cortina.
No meu coração fiz um lar, o meu coração é teu lar, e de que me adianta tanta mobilia se você não esta comigo?