quinta-feira, 13 de outubro de 2011


“Não era mais ele: ela amava alguém que não existia mais, objetivamente.
Existia somente dentro dela.”

— Caio F.