quarta-feira, 12 de novembro de 2014


Maria, eu não te levava tão a sério e de tanto fazer isso, você me levou. Entrelaço meus pés me esquecendo que os teus já não estão entre eles. Eu tomo café pra não sonhar com você Maria, mas está em cada tom das mais bonitas músicas. Eu não escuto ninguém, eu não me escuto, mas escuto você. Maria, se teu caminho já não está no mesmo rumo em que nos encontramos no final dessa euforia toda, me ensina a mudar o meu. Coração pulsa, mas de jeito nenhum te expulsa. Repito teu nome pra ver se te esqueço de tanto te lembrar. Me escuta Maria, olha e me escuta, como é que o Sol não ia ter vontade de se apagar ao ver você sorrir? Maria, sem você não sei pra onde seguir. E de te não levar a sério, você me levou…

Fernanda Myamoto