quarta-feira, 3 de junho de 2015


Você me deixou. Sem onde, sem que pudesse explicar. Você me deixou quando disse que me amava, quando fechou os olhos e chorou, no final do disco do Tom Jobim. E eu fiquei parada sobre a cama, meu quarto frio, as roupas espalhadas pelo chão e duas plantas exarcadas na janela. Você me deixou quando percebi que o que eu mais queria era a sua presença, mas te disse que poderia partir. Você me olhou pela última vez quando eu pedi que chovesse, porque não conseguia mais respirar a poeira da cidade. E eu fui em direção ao campo, procurando a chuva. Quando você disse que iria me enviar uma carta, e eu fiquei todos os dias no portão, observando o carteiro passar sem um sorriso para me entregar. 
Você me deixou quando disse que me amava.
Ainda não sei terminar cartas. 
Você me deixou quando disse que me amava.

São as águas de março fechando o verão, Edu