quarta-feira, 9 de agosto de 2017




“Contei ao meu psicólogo que o problema era todo uma questão de sentimentos e exageros. E que se fosse possível ouvir minhas canetas e papéis, possivelmente ele teria que prescrever algum remédio emocional para eles também. Eu era um fora da casa. Literalmente um problema com pernas. Ele riu.”

Ciceero M.