terça-feira, 16 de outubro de 2018

Uberlândia 16 de Outubro de 2018

Eu sempre ouvi aquela frase clichê "O problema de não gostar de ninguém é que quando gosto eu gosto muito" e sempre me senti muito bem representada pela tal. Eu sabia que quando acontecesse de novo eu não teria a minima chance de ter controle sobre o tal do amor, minha balança nunca foi equilibrada, acho que de nenhum libriano é, ou a gente quer muito ou não tá ligando pro mundo pegando fogo lá fora, nunca tive esse senso de vou tentar gostar, vou tentar levar, vou tentar me apegar, nunca consegui, cada molécula do meu corpo foi projetada pra se jogar quando aquele outro clichê de "Borboletas no estomago se faz presente", e foi assim, foi no susto, foi tudo de uma vez internamente, eu só permitir a carcaça ir depois porque ainda tenho um pouco de senso de pé no chão, mesmo que cada célula me tirasse do chão cada vez que aparecia seu nome na tela do meu celular, mesmo quando eu ouvia sua risada depois de falar uma coisa muito idiota e você achar engraçado, mesmo quando você tirava um segundo do dia pra me dar bom dia ou mandar alguma cantada de pedreiro, mesmo assim eu achei que ia dar pra fingir que não tinha nada de diferente ali. Eu levei um tempo pra absorver que realmente tinha, e quando eu percebi que eu tava muito perdida eu quis correr, eu quis muito, eu queria levantar da mesa falar VAMO EMBORA AGORA, porque eu gostei do jeito que você era implicante, do jeito que era esquisita, e do jeito que sorria, meu jeito foi fechar a cara e rezar pra você não me encostar de novo porque eu sabia que eu já era gasolina e você era uma tocha ambulante acesa e que ia botar fogo em toda reserva de alto controle, estabilidade e equilíbrio emocional que eu demorei um tempo pra cultivar, eu sabia que a hora que eu voltasse de novo era o fim de um período calmo e eu ia entrar em um território que eu odeio estar, odeio pelos motivos já citados, odeio não ter controle sobre coisas dentro de mim mesma, odeio sentir ódio e amor na mesma frase, odeio pensar o tempo todo e fazer malabarismo pra ter perto, odeio odiar tanto. Eu sempre tive medo de me machucar, eu sempre tive medo do incerto, porque dentro de mim sempre foi tudo muito certo,eu sabia que não ia oscilar sentimentalmente e ia te querer aqui todos os dias, e se você não quisesse estar aqui todos os dias?! Eu virei uma caçadora de você na rua, eu te via em cada pessoa de um jeito diferente, ou era o jeito que andava, ou o cabelo, ou o jeito de olhar, eu procurava você em cada pessoa que eu trombava na rua, só pra te ter um pouco mais perto, o problema é que você é um conjunto de coisas que as outras pessoas não são. Eu comecei a respirar você, dormir você, acordar você, viver você, e a cada segundo do meu dia tinha você.
Eu gostei de você. Com medo, mas gostei, desde o primeiro dia, desde o primeiro sorriso e o não levantar pra me cumprimentar, desde quando conversou bonitinha com meu amigo e comigo só falava alguma coisa pra implicar, desde a hora que me chamou pra mostrar a cidade e eu vi o mundo inteiro, meu mundo, eu não queria ter parado aquele beijo, na verdade eu estava em um confronto interno no momento entre, pqp não posso beijar, e pqp quero beijar ela de novo.
E eu voltei, e eu voltaria mais um milhão de vezes, porque não existe paz maior que pegar na sua mão, só pegar, eu não consigo prestar atenção em nada ao redor quando a sua mão está na minha, e como se eu entrasse em uma estufa, e nenhum barulho externo conseguisse bagunçar a paz interna que sinto, como se todos os problemas do mundo fossem muito pequenos perto de sentir seu coração pulsando nas minhas mãos.
Esses dois dias dormindo e acordando com você, foram muito bons, você dorme muito lindinho, você é linda, e sobre a paradinha de não conseguir ficar quieta, eu só conseguia ficar paradinha quando você me beijava, isso deve significar alguma coisa. E eu te amo, é isso, é tanta coisa mas eu prefiro resumir com isso eu te amo, não só eu te amo, e sim um eu te amo pra caramba! E espero que você consiga sentir isso de alguma das formas que tento demostrar.
Eu preciso do seu sorriso pra sorrir também


Com amor vns



sexta-feira, 3 de novembro de 2017





Não estou triste, mas devo admitir que de vez em quando sinto preguiça de existir. Deve ser aquela fase que você começa a se perguntar, e cada pergunta gera uma nova dúvida, a única certeza que eu tenho no momento, é o meu cansaço.

SEAN WILHELM.









Ah, mas tudo bem. Em seguida todo mundo se acostuma. As pessoas esquecem umas das outra com tanta facilidade. Como é mesmo que minha mãe dizia? Quem não é visto não é lembrado. Longe dos olhos, longe do coração. Pois é.

Caio Fernando Abreu







Gosta de desafios? Então te desafio a fazer o que ninguém nunca fez por mim antes: ficar.

SÃO PAULO, JULHO DE 2016. LEONARDO SEQUIM.





Ele era capaz de acelerar meu coração apenas com o olhar.





Estou mentalmente cansada, fisicamente exausta e sentimentalmente destruida.

ALICE KOBAYASHI.






Tínhamos tudo para dar errado, e demos. estamos tão longe de estarmos perto, que estamos. estamos longe um do outro. Temos 0 chances de tentarmos outra vez, porque temos o infinito de motivos para estarmos magoados um com o outro. sem contar que, não demos nada de nós, á tudo o que a vida tinha a nos oferecer




sexta-feira, 8 de setembro de 2017




"Você deixa um alfinete cair no chão do seu quarto e pensa “daqui a pouco eu pego”. Horas depois você se esquece, se distrai, e acaba pisando em cima, sente uma dor terrível. Você sabe que poderia ter evitado com um simples gesto, mas mesmo assim fica com ódio por ter se machucado de forma tão idiota. Você se recusa a acreditar que algo tão inofensivo no momento possa te fazer algum mal. Se esquece que pequenas coisas podem causar dores insuportáveis. Mas aprende que nem toda dor é física."

Sean Wilhelm.






"Com amor, a gente consegue dar a tal volta por cima. Com amor, as lágrimas um dia cessam. Com amor, o sorriso volta outra vez para a alma. Com amor, um dia frio pode ser quentinho. Com amor, a tela branca ganha formas. Com amor, a respiração acalma. Com amor, o abraço conforta. Com amor, o olhar se encontra e se entende. Com amor, as bocas conversam sem som. Com amor, um entende o outro com o silêncio. Com amor, as feridas secam e criam casquinha. Com amor, o que ficou pra trás não importa. Com amor, o presente é urgente. Com amor, o futuro não assusta. Com amor, o perdão é sincero. Com amor, nada parece tão complicado. Com amor, é fácil ter fé. Com amor, as dificuldades são vencidas. Com amor, a gente enxerga beleza onde não tem. Com amor, o riso surge. Com amor, os fantasmas fogem. Com amor, enxergamos corações em todos os lugares. Com amor, a fera vira bela. Com amor, até a alma mais dura se transforma. Com amor, o medo se dissipa. Com amor, o equilíbrio volta para o lugar de onde nunca devia ter saído. Com amor, a gente só soma. Com amor, você tem tudo. E eu também."

Clarissa Corrêa.








"Coisas boas acontecem. Seja de vez em quando, seja sempre. Seja quantas vezes você permitir."

Aquarelar




segunda-feira, 4 de setembro de 2017




“Porque ninguém se mantém interessante ou mágico. Mas a gente espera, lá no fundo, perdido, soterrado e cansado, que a vida compense de alguma maneira. E a gente ganha dinheiro, compra roupa, aprende novas piadas, passa protetor labial. Só pra que a vida compense em algum momento. Só pra ganhar a coceguinha no coração. Coração burro, tadinho. Que preguiça desse coração burro.”

Tati Bernardi.




quinta-feira, 17 de agosto de 2017





“Finalmente criei coragem e arrumei meu coração. Confesso que no início fiquei atordoada com tamanha bagunça, mas com o tempo entendi a lógica de tudo e com isso acabei por me encontrar, estava debaixo debaixo de tristezas, de todos os tipos. Ajudei a me levantar e pedi ajuda pra arrumar aquilo tudo. Meu eu concordou e limpamos tudinho. Agora que tá tudo arrumado, espero que novos hóspedes, apareçam e fiquem.”

Limpeza de alma