terça-feira, 26 de junho de 2012


Rimos. E ficamos rindo assim, falando sem saber muito bem de quê nem por quê. Decidimos desligar, prometendo que ligaremos amanhã. É uma promessa inútil: ligaríamos de qualquer jeito. Quando você perde tempo ao telefone, quando os minutos passam sem que você perceba, quando as palavras não têm sentido, quando você pensa que se alguém o ouvisse acharia que está louco, quando nenhum dos dois tem vontade de desligar, e depois que ela desliga você verifica se desligou mesmo, então está perdido. Ou melhor, está apaixonado, o que, na realidade, é a mesma coisa.






Envelheci antes da hora. Gosto da minha casa, das minhas músicas, das minhas palavras. Pessoas gritando me deixam com a cabeça doendo e com os músculos da face enrijecidos. Envelheci antes da hora. Gosto de regar minhas poesias com a paz que vive no silêncio.





segunda-feira, 25 de junho de 2012


Um dia você vai estar sozinho, vai fechar os olhos e tudo estará negro. Os números de sua agenda passarão claramente na sua frente, e você não terá nenhum para discar. Sua boca vai tentar chamar alguem mas não há alguém solidário o bastante para sair correndo e te dar um abraço, nem te colocar no colo ou acariciar seus cabelos até que o mundo pare de girar.
Nessa fração de segundos, quando seus pés se perderem no chão você vai lembrar da minha ternura e do meu sorriso infantil. Virão súbitas memórias gostosas dos meus abraços e beijos, da minha preocupação com você, e só vão ter algumas músicas repetindo no seu rádio: AS NOSSAS!
Em um novo momento você vai sentir um aperto uma pausa na respiração e vai torcer bem forte para ter nosso mundinho delicioso de novo. O nome disso é saudade. Aquilo que eu tinha tanto e te falava sempre.
E quando você finalmente discar meu número, ele estará ocupado demais, ou nem será mais o mesmo, ou até eu nem queira mais te atender.
E se você bater na minha porta ela estará muito trancada. Se aberta, mostrará uma casa vazia. Teu olhos te ensinarão o que é lágrimas, aquelas que eu te disse que ardiam tanto. O nome do enjoo que você vai sentir é arrependimento. E a falta de fome que virá chama-se tristeza.
Então quando os dias passarem e eu não te ligar, quando nada de bom te acontecer e ninguém te olhar com meus olhos encantados, você encontrará a famosa solidão.
A partir daí o que acontecerá chama-se surpresa. E provavelmente o remedio para toda essa sensações acima: É O TAL DO TEMPO EM QUE VOCÊ TANTO FALAVA!
Tati Bernadi











quinta-feira, 21 de junho de 2012


Tô precisando de um colo pra
chorar, tô precisando de alguém que diz ” fica” e que realmente me faça
ficar. Tô precisando de alguém que queira ser o meu bem. Que não me 
faça esperar, e siga pela mesma estrada que eu, faça somar e seja só 
meu. Tô precisando de alguém que tenha vontade de estar comigo, faça dos
seus braços meu abrigo, e me ajuda combater todos os meus medos e 
minhas privações, tô precisando de alguém que não viva no passado nem 
mate o futuro, que queira acima de tudo estar de bem comigo.






....Coração disparado. Não tem posição na cama. O que eu faço? Não tô a fim de ler, não tô a fim de ver TV. Aquelas outras coisas que se faz pra acalmar tô com preguiça agora, minha imaginação está indo toda para traçar um plano para que eu descubra. Descubra o quê? Não sei, mas sei que algo está acontecendo, ou eu não estaria assim. Porque eu sinto quando ele está com alguém, sabe? Eu sinto. (…) Eu preciso saber. Joga aí: ele está com alguma puta? Tati, eu não posso perguntar isso pras cartas. Pergunta aí: ele tá com alguma piranhuda desgraçada vagabunda vaca dos infernos? (…) Chega, chega. Preciso me acalmar. Pra que isso? Se ele estiver com alguém agora, e daí? Terminamos não terminamos? Ele e eu não temos nada a ver, certo? Decidimos que era melhor assim, certo? Eu não tava bem com ele e nem ele comigo, certo? Porque era bom e tal. Aliás, meu Deus, como era bom. Mas não era bom pra ficar junto, certo? Então pronto. Chega. Adulta, adulta. Qual o problema se ele estiver agora, justamente agora, lambendo a virilhazinha de alguma desgraçada? Qual o problema? Ok, eu posso morrer. Eu definitivamente posso morrer.


(Tati Bernardi)






Nem pena do mundo eu consigo mais sentir. Minha pureza era linda, Zé, mas ninguém entendia ela, ninguém acolhia ela. Todo mundo só abusava dela. Agora ninguém mais abusa da minha alma pelo simples fato de que eu não tenho mais alma nenhuma. Já era, Zé. É isso que chamam de ser esperto? Nossa, então eu sou uma ninja.






"Você me tinha em suas mãos. E acho que o erro foi esse. 
Você sabia disso e por isso não cuidou. Achou que eu sempre estaria nas 
suas mãos. Mais um erro. Eu escapei, pelos teus dedos. E pedir 
desculpas, pedir pra eu voltar, não vai adiantar muita coisa. Hoje estou
nas mãos do vento. E espero que ele me leve até alguém que cuide de 
mim, dessa vez." 

Querido John











"Mas, ao mesmo tempo eu queria acreditar que você era diferente, porque eu sempre tive esperança em você, sempre achei que você iria me fazer ver o mundo com outros olhos. Fiquei durante muito tempo pensando numa maneira certa de agir, foi aí que decidi esquecer 
essa porra de quase-amor que eu sinto por você. E era isso que mais doía, o quase-amor, porque no fundo eu queria que fosse amor. Mesmo assim, insisti em colocar um ponto final."
Tati Bernardi.










quarta-feira, 20 de junho de 2012



Entre outras coisas, você vai descobrir que você não é a única pessoa confusa e assustada e até enojada com o comportamento humano.

O Apanhador no Campo de Centeio






quarta-feira, 13 de junho de 2012


- Mas o que eu faço, Zé? Como que faz pra ela acreditar?
- Prova. Esquece essas tuas palavras. 
Como já disseram: essas letras misturadas, o vento leva.

Hoje eu parei pra pensar e descobri que faço planos demais. Eu estou sempre planejando tudo, cada passo, cada palavra, cada olhar, tudo. Parece até que vivo de planos, para hoje, para amanhã, para o futuro.. Mesmo sabendo que em um piscar de olhos tudo pode mudar. Todos os dias antes de dormir, fecho os olhos e penso: “Amanhã vai ser diferente, farei amanhã tudo que não fiz hoje.” E faço, me refaço e deixo de lado meus planos perfeitos.. Porque sei que já não são os mesmos planos, ou melhor, são os mesmo planos porém vistos de perspectivas diferentes. Vejo que a vida acontece quando não planejamos, quando estamos ocupados demais sendo expontanêos. E é ai que se vê a beleza de não planejar, deixar que aconteça sem data ou hora marcada, você aproveita cada momento como se fosse o ultimo pois não sabe o quanto irá durar e percebe que é assim que acontecem as coisas mais incriveis da vida, elas acontecem.. Quando você não está esperando.






"Felizes são aqueles que quando fogem, alguém vai atrás.”
— Pitty





Ah, como eu queria ser eu mesmo, por um dia, uma hora que fosse. 
Mais como é difícil, meu Deus, como é difícil.






".. Dizem que a dor faz a gente pensar
Dizem que o amor faz a gente mudar .."





Pensei em sumir. Desaparecer. Despistar. Fingir. Só que eu não vou. Vou me esforçar e acreditar que tudo vai ficar bem. A esperança nos mantém vivos, certo? A fé nos faz andar para a frente, certo? Então tá certo. Ficamos combinados dessa forma. Não espere poesia, linhas bem feitas, palavras bonitas. Simplesmente não posso. Agora não. Não sou de ferro. 
E está doendo. 

— Clarissa Corrêa





Eu me apego, guardo, empilho. Da mesma forma que junto cartas antigas, bilhetes, fotos, recordações eu carrego as pessoas comigo. Quem eu amei não sai de mim. Não me desfaço dos outros como quem decide jogar tudo fora e fazer nova decoração.











“Perdidos, perderam-se, perdeu-se - e foi pelos viadutos que se perdeu. Um livro nas mãos, debatendo-se para não ser afogado, indeciso entre voltar e seguir em frente, porque havia fogueiras pela noite, embora ainda não soubesse delas.”

- Caio Fernando Abreu.





Um clichê. Ser sozinho é tão comum, estar acompanhado também. Estar apaixonado, arrependido, magoado, ser roubado, rotulado. Tão comum, tão entediante. Se afogar nos lençois, colocar no play aquele música que exala melancolia, ver aquele filme romantico que sempre tem a moçinha desamparada e o tolo em busca de um amor, tão clichê como um final feliz. Um amor não correspondido, daquele que te faz explodir versos e textos ao teu amado, que nem sequer sabe o teu nome, nem sabe do teu existir e se ao menos souber teu nome, pouco se importa. Tentar controlar os sentimentos, fingir de durão para não sair como a vitíma mal amada da história. Procurar nos livros um escape do mundo que só te faz querer mais alguém pra amar e poder desfrutar bons momentos, mesmo sua árvore não tendo raiz. Tudo tão comum, tão clichê, tão hoje. Dificil mesmo é encontrar alguém disposto a ser feliz sozinho, que se priva de amar por medo de chorar. Dificil é encontrar um ser sorridente, que admira o tanto o sol que seus olhos nadam por horas e teu pensamento voa longe, dificil é escrever sobre amor sendo feliz, dificil é ser. Ser






Eu também sinto medo, frio, saudade. Também erro, caio, machuco. Mas, eu sempre tento, mesmo que não saiba por onde começar.






Foi então que parei e pensei.
Como você se sentiria, se eu escolhesse ir embora?





— Que merda de vida, que merda!”
Encaixei os fones no meu ouvido e apenas acenei com a cabeça grosseiramente que “não”, não me importava o que aquele homem estava tentando me oferecer, eu não iria querer mesmo, não quero nada. Mas leia-me certo, não quero nada, mas preciso de tanto, preciso de um mundo novo — e de um sapato também — mas certamente aquele moço não estava me oferecendo um mundo… Ou estava, pensei. Logo corri de encontro ao homem que já estava longe, mas eu ainda podia vê-lo, corri e enquanto corria veio a imagem do moço me entregando um bilhete de loteria que por estar próximo aos meus pés, achou que fosse meu, talvez estivesse premiado, ah meu deus, poderia comprar um mundo e outro mundo só de sapatos pra mim. E outros mil pensamentos típicos de quando bate aquela esperança me veio em mente também, sabe?… E quando finalmente alcancei o moço, com um sorriso nos lábios perguntei: “Moço, o que queria me dizer?” e ele respondeu com a voz fraca, quase sussurrando:”Na verdade queria te pedir, linda moça!”. Ah como eu sou uma boba esperançosa, o moço estava em uma situação pior que a minha, dei um suspiro e meia volta, quando ele segurou no meu braço e disse:”Queria te pedir um mundo, um mundinho…”. Minha nossa, por que caralhos eu quis dar todo o meu mundo para aquele moço? E por que eu quis dar os sapatos também? Eu senti que tinha um mundo, mas dessa vez não pequeno, eu tinha um mundo de sonhos e esperanças, gigantesco, e não me doeria, nem um pouquinho, doar um pouco pro moço que me deu um mundo sem ter um.





domingo, 10 de junho de 2012


Joguei no lixo todas as palavras ditas sem sentimento. Abracei as coisas de um modo diferente, de um jeito mais frio. Minha vida tomou outro rumo, que se fez necessário. Apesar de ainda sentir, poucas coisas, mas sim, ainda sinto. Aprendi a camuflar isto, em bem de mim e das pessoas a minha volta. Não leve isso para o lado pessoal, por favor, não é minha intenção. Só queria deixar claro que estou mais fria, com as pessoas, com os sentidos, com a vida.





".. Mudaram as estações, nada mudou
Mas eu sei que alguma coisa aconteceu
Tá tudo assim tão diferente
Se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar
Que tudo era pra sempre
Sem saber, que o pra sempre, sempre acaba
Mas nada vai conseguir mudar o que ficou
Quando penso em alguém só penso em você
E aí, então, estamos bem
Mesmo com tantos motivos
Pra deixar tudo como está
Nem desistir, nem tentar agora tanto faz
Estamos indo de volta pra casa .."





segunda-feira, 4 de junho de 2012


Demorei muito para acreditar na mais louca e cruel verdade: quem gosta de você vai te tratar bem. Quem gosta de você se importa, quer o melhor, te procura, te liga, te dá satisfação. Quem gosta quer estar junto. Quem gosta demonstra. Quem gosta faz planos. Quem gosta apresenta para a família e amigos. Quem gosta manda uma mensagem bobinha só pra dizer que ama. Quem gosta carrega uma foto sua dentro da carteira pra ver quando dá saudade. Quem gosta abraça na hora de dormir. Quem gosta dá um beijo de boa noite e de bom dia. Quem gosta aguenta suas reclamações, sua cólica infernal, suas manhas e manias.

— Clarissa Corrêa





sábado, 2 de junho de 2012

sexta-feira, 1 de junho de 2012


(…) Sentia vontade de chorar, mas não saia lágrima alguma. Era só uma espécie de tristeza, de náusea, uma mistura de uma com a outra, não existe nada pior. Acho que você sabe o que quero dizer, todo mundo, volta e meia, passa por isso, só que comigo é muito freqüente, acontece demais.

 Charles Bukowski.