quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015







Então todos os dias alguém me perguntava o que havia acontecido. Pois o que aconteceu, meu bem, foi simples: eu matei a flor. Na minha ânsia de cuidado, afoguei a pobre. Era mais do que ela podia suportar, eu sei, e nunca fiz por mal. O meu amor era tão grande que transbordou, superconcentrou, e murchou cada pétala. Porque a gente nunca espera que a intensidade maltrate; a gente espera que o carinho floresça em cores fortes, em ramos verdes e firmes. E o que aconteceu foi que, meu bem, tudo murchou nas minhas mãos molhadas. Porque nem toda espécie se adapta às chuvas constantes e à terra úmida. E certas coisas a gente só entende quando se dá por perder. Os cactos gostam de solo seco e fim.

Rio-doce








Dói. Se me perguntarem o que acontece, só saberei responder isso: dói. Se me perguntarem onde é a dor, ainda assim só responderei: dói. Tudo tem a ver com aquele grito reprimido, aquele sonho escondido, aquele choro nem sempre contido: dói. Aquela vontade de cortar a garganta para não poder gritar. Aquela vontade de arrancar os olhos só pra não poder ver. Aquela vontade de esmagar o coração só para não poder sentir. Mesmo com todas essas coisas incapacitadas ainda assim doeria. Porque não está na garganta, nos olhos, no coração. Está em toda parte.

Caio Fernando Abreu






Há pássaro azul no meu coração que quer sair, mas eu sou demasiado duro para ele, e digo, fica aí dentro, não vou deixar ninguém ver-te. Há um pássaro azul no meu coração que quer sair, mas eu despejo whisky para cima dele e inalo fumo de cigarros, e as putas e os empregados de bar e os funcionários da mercearia nunca saberão que ele se encontra lá dentro. Há um pássaro azul no meu coração que quer sair, mas eu sou demasiado duro para ele, e digo, fica escondido, queres arruinar-me? Queres foder-me o meu trabalho? Queres arruinar as minhas vendas de livros na Europa? Há um pássaro azul no meu coração que quer sair, mas eu sou demasiado esperto, só o deixo sair à noite, por vezes quando todos estão a dormir. Digo-lhe, eu sei que estás aí, depois, coloco-o de volta, mas ele canta um pouco lá dentro. Não o deixei morrer de todo e dormimos juntos, assim com o nosso pacto secreto, e é bom o suficiente para fazer um homem chorar, mas eu não choro, e tu?

Charles Bukowski





domingo, 15 de fevereiro de 2015


" Talvez o melhor seja continuar assim mesmo… meio “tanto faz”. Sabe tanto faz se dói, tanto faz se fere, tanto faz se corrói, afinal de contas ninguém esta nem ai pro que você realmente sente - pro que você realmente precisa - pro que realmente importa. "




sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015


...Deixa pra lá
Que de nada adianta esse papo de agora não dá.
Que eu te quero é agora e não posso nem vou te esperar,
Que esse lance de um tempo nunca funcionou
Pra nós dois.

Sempre que der
Mande um sinal de vida de onde estiver dessa vez
Qualquer coisa que faça eu pensar que voce está bem,
Ou deitada nos braços de um outro qualquer
Que é melhor

Do que sofrer
De saudade de mim como eu to de você
Pode crer,
Que essa dor eu não quero pra ninguém no mundo,
Imagina só, pra você.

Quero te ver
Dando voltas no mundo indo atrás de você,
Sabe o que?
E rezando "prum" dia você se encontrar
E perceber
Que o que falta em você sou eu...



quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015





Quando estamos diante de algo ou de alguém que é absolutamente precioso na nossa vida, a gente sabe, mesmo que sem muita clareza no início, a nitidez às vezes só costuma florir no tempo da primavera do olhar. A gente sabe porque sente com uma sinceridade tão profunda que qualquer nuvem de dúvida dura pouquíssimo no céu de azul macio que acontece nesse território da alma. A gente sabe porque o sentimento nos pega pela mão e nos leva para um lugar de paz tão singular que, se formos honestos com nós mesmos, reconhecemos ter visitado raras vezes nas nossas andanças. A gente sabe porque sente ter sido despertado em nós um entusiasmo que nos enche de vontade de fazer expandir a nossa bondade e transformá-la em gestos amorosos pra distribuir por aí. A gente sabe porque o coração também sai de casa pra sorrir e quer convidar outras tantas vidas pra sorrir junto. A gente sabe porque não consegue mais imaginar que o nosso caminho desaprenda a passar por lá, mesmo que precise aprender a desaprender depois. A gente sabe porque se sente feliz. Simplesmente feliz.

— Ana Jácomo.









Não chorei, não gritei, não fiquei chateado, não bati pé. 
Pra que fazer tanto barulho? Que vá, nunca me pertenceu.
— Caio Augusto Leite






Minhas paixões são amores para vida inteira. Meus amores são coisas de vidas passadas. Minhas dores são doenças terminais. Meu beijo é de cinema. Meu abraço é de urso. E meu brigadeiro de panela é o melhor do mundo.

Frederico Elboni





quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015







Talvez eu não mereça amar. Mas todos merecem. Dizem por aí. Então talvez eu não saiba amar. Mas todos já nascem sabendo. Dizem por lá. Já sei, então talvez eu não saiba descobrir o amor entre as paixões que me passam sorrindo. É isso. Sorrisos lindos já me deram bom dia, mas, nem sempre dei oportunidade deles me darem boa noite. Talvez por medo, receio de um amanhã farto de mais do mesmo, ou por achar que, por mais gostoso que esteja, ainda falte algo. Mas será que falta?

Minha vida é ilusão e filme. Choro e riso. Medo e vontade. Dúvida e sonho. Confesso que volta e meia me perco em amores que não existem. A vida nos guia, as concessões são necessárias, o dia a dia cria os amores e desafetos, as perfeições são utopia, todos sabem, mas, hoje, é exatamente isso que eu quero: sonhar com um amor que não existe.


Diferente de idealizar, sonhar é gostoso e saudável. Qual seria a graça da minha infância se eu não sonhasse em ser astronauta, ou, se eu não pudesse lutar contra os dragões de duas cabeças que insistiam em querer roubar meu sucrilhos? Sonhos não geram frustrações, expectativas geram frustrações.

Deixar o coração descontrolado é uma delícia! Mas, procurar o amor é, vezes, procurar a dor. A dor e o amor se escondem num baú de sentimentos, um ao ladinho do outro. E quando vamos apanha-los não sabemos o que estamos tateando. Pois, nesse baú de sentimentos, as escolhas só podem ser feitas de olhos fechados. Os sentimentos não permitem que sejam vistos e escolhidos pelo crivo do olhar, mas somente pelo sentir do coração. A surpresa é eterna, mas que tenhamos sorte nas escolhas. Independentemente do que agarrarmos, espero que os amores façam sorriso das dores, e as dores façam querermos amar mais. Por mais difícil que seja.

Hoje, pra mim, o amor dói. Já amanhã, espero que seja somente uma dor que passou, um sorriso que ficou e um beijo que insiste em me acordar.

Frederico Elboni




terça-feira, 3 de fevereiro de 2015





Se alguém vier pedir o meu conselho
A gente não aprende no espelho
A gente vive e sofre pra aprender
Cada amor é tanto e diferente
A vida insiste em dar esse presente
Comece o dia amando mais você!