quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011


Então, o que devo fazer é esperar. Sem desespero, sem melodrama, sem niilismo 
- esperar. Mas até quando, meu Deus, até quando?
Caio F. Abreu