quinta-feira, 5 de março de 2015




Tive vontade de te procurar, de lavar minha alma, de me vasculhar. Só queria te falar tudo que sinto, que sei. Só queria me sentir bem, já que não ao seu lado, mas fazendo o bem a mim mesma. Sem vestígios de amor, sem dor, sem sofrer. Só desmontar a pirâmide de sonhos que você criou em mim, sonhos sobre nós, apenas de nós. De todo teu ser, o que me resta saber é se há mais alguma coisa que eu deva me arrepender. Se há em algum lugar, o vento a levará, para longe. Assim como você se foi, naquela tarde, era dezembro, e eu só pensava ”como te amei por tanto tempo?”.


— Helena Lino.