quarta-feira, 3 de junho de 2015


“Da primeira vez em que me assassinaram, perdi um jeito de sorrir que tinha… Depois, de cada vez que me mataram, foram levando qualquer coisa minha.”

Mário Quintana