sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Ontem..



- Oi?- Ah, você atendeu.- Não esperava?- Mais ou menos.- Aconteceu alguma coisa? Parece nervosa.- É que eu queria dizer umas coisas, muitas coisas.- Fale oras, estou te ouvindo.- Ok, irei falar.- Fale..- Estou ligando só pra dizer que hoje eu devo dormir bem. Dormirei bem porque deixei as coisas mais limpas do que ontem, mesmo que ontem tenha sido uma bagunça e hoje eu tenha que continuar limpando isso tudo. Obrigada por ajudar. Não interrompa, deixe-me falar, porque dessa vez eu não estou perto, e eu posso dizer o que quiser porque estou ligando. Quero dizer que foi bom te encontrar hoje, não vou dizer que matei aquela saudade, porque você ainda estava distante demais para me deixar satisfeita. Aliás depois veja o endereço que coloquei em seu bolso.. Se você quiser eu tenho ingressos pra um lugar lindo que eu queria ir contigo. Eu gosto de lá, vou sempre. Digo ingressos porque lá é um lugar meu, na verdade, poucos conhecem e não é público. Você talvez vá gostar, deixei uma reserva. Outra, queria saber se você também gostou de me ver, porque tem tempos que não te vejo com uma cara boa como essa. Tem tempos que eu não vejo muito de você. Como não conversamos muito e eu estou falando demais. É ansiedade.. Há tempo que eu não sinto todo esse ar harmônico que me rodeia, vou até dormir sem café hoje. Não precisa falar mais do que disse hoje, porque o que disse hoje foi tão necessário, eu só fiquei te ouvindo e ouvindo. Ouvi tanto que esqueci de falar, percebeu? Acho que sim, você só ria. E o quanto ria, me fazia rir. Não sei se era saudade ou se era você, ok, eu sei é relativo ... Mas eu estou em dúvida. Porque eu ri demais... Há tempo nunca senti esse nervoso assim, que mexia e remexia meus lábios e eu estou falando demais, devo desligar e ...- Não desligue, continue.- Eu estou nervosa..- Não desliga agora, eu gostei de te ver hoje.- Eu também.- Esse endereço que você me deu é perto?- Sim, pega um ônibus só.- Deixa eu ver aqui...- Ok.- "Seu coração"?- Sim.